5 Grandes mentiras sobre o Feng Shui



O Feng Shui é uma técnica milenar oriunda da China e trouxe consigo, em seus primórdios, conceitos de harmonização do ambiente, desde a construção, seguindo os pontos cardeais. Com o passar do tempo, o conceito de Feng Shui foi se modificando e atingindo os países do Ocidente, onde já não mais a harmonização dependia de uma estrutura alicerçada com parâmetros definidos, mas sim a maneira como dispomos os objetos, os elementos e as cores no ambiente e o proposito que levamos aquela harmonização.


Conforme o Feng Shui foi se espalhando pelo Ocidente, criou-se muitos paradigmas e dúvidas entorno dele. Por isso hoje, esclareceremos a você 5 grandes mentiras sobre o Feng Shui:


1 – O Feng Shui Quebra Paredes

O Feng Shui não quebra paredes. Ao estudarmos as escolas tradicionais de Feng Shui oriundas da China, iremos entender que em seu primórdio, essa técnica de harmonização era utilizada para construir a casa segundo os pontos cardeais, para se trabalhar as energias desde o alicerce. Quando o Feng Shui se espalhou pelo Ocidente, ele trouxe um sistema de curas, que trabalha os objetos e as cores, na edificação já finalizada, com o propósito de harmonizar e fazer circular as energias e vibrações.


2 – O Feng Shui é Místico

Dentro do misticismo o Feng Shui é o que menos tem relação ao místico. Trabalhando conceitos da física, da física quântica, do emprego dos 5 elementos e da harmonização dos elementos Feng (ventos) e Shui (água), essa técnica trabalha e tendencia as energias do ambiente e das pessoas que frequentam ele, a um caminho de equilíbrio, consciência e realização.


3 – “ Você não pode ter isso na sua casa”

Para aplicarmos o Feng Shui, precisamos entender que ele surgiu e inicialmente foi aplicado e desenvolvido ao estilo de vida dos orientais, quando ele veio para o Ocidente, ele se adaptou a nossa realidade e as necessidades culturais dessa parte do mundo. Podemos ter em nossa casa tudo o que quisermos, seja uma planta específica ou até mesmo uma foto de um falecido, o que vai determinar o efeito desses objetos é a maneira como os posicionamos e a relação que temos com eles. Por isso, no caso de plantas e decoração, precisamos entender dos conceitos de Feng Shui para saber qual é o local mais indicado e melhor local para coloca-los e no caso das fotografias de entes falecidos, precisamos analisar que tipo de sentimentos nos causa ter contato visual com aquela imagem, se for um sentimento negativo, é bom guardá-la até que a lembrança do falecimento não traga0 sensações densas.

4- Feng Shui se aprende lendo matérias ou revistas

Realmente das dicas expressas nos textos de Feng Shui em matérias na internet ou em blogs acrescentam muito na vida das pessoas. Porém assim como todo aprendizado complexo, para aprender realmente o Feng Shui é necessário um estudo específico e amplo que aborde todas as características que essa técnica trabalha. Por isso existem as Escolas de Feng Shui, como a Feng Shui da Alma

5 – A Harmonia De Ambientes Surgiu Somente Na China

Por mais que a China seja o país mais associado quando o assunto é Feng Shui, ao longo da história, no mundo e nas mais diversas culturas houve uma preocupação de harmonizar corretamente o ambiente. Mais antigo que o Feng Shui, na Índia surgiu o Vastu que também se preocupa com a harmonização de ambiente seguindo os pontos cardeais, na América do Norte surge o Xamanismo que trabalha as energias da natureza a favor do ambiente, entre várias outras culturas que abordam a harmonização. No Brasil, atualmente uma das mais conhecidas técnicas de Feng Shui é o Feng Shui da Alma, criado por Luiz Netto, que trabalha referências de várias técnicas de harmonização de várias culturas, como citado, somado a magia natural, trabalhando de forma fácil rápida e eficaz as energias do ambiente.